Pronto para receber conteúdo interessante? Assine a newsletter

Por que entender e aplicar o lifelong learning?

#EducaçãoDisruptiva - 22 de Maio de 2020

Durante muito tempo, a educação foi pensada como um linha de tempo com começo, meio e fim. Porém, hoje vemos que a atualização profissional e pessoal é um processo contínuo. Segundo o relatório The enterprise guide to closing the skills gap, da IBM, a vida média das competências ensinadas diminui cada vez mais rápido - e é preciso encontrar novas maneiras de continuar a aprender para ser relevante ao mercado.

Pensando dessa maneira, o formato tradicional de enxergar a educação não faz mais sentido, certo? Assim sugere o conceito de Lifelong Learning - ou aprendizagem ao longo da vida, em português -, no qual estudiosos da área enxergam a necessidade de um retorno à escola para enfrentar novas situações, tanto da vida privada quanto profissional.

O tema - retratado no livro Onlearning: como a educação disruptiva reinventa a aprendizagem - é um dos fundamentos da criação do Onlearning (conceito que já explicamos aqui) pelo idealizador do LIT e CEO da Saint Paul Escola de Negócios, Prof. Dr. José Cláudio Securato. Na obra, ele conta que, na década de 1970, grandes instituições voltaram seus olhares ao Lifelong Learning.

Os conceitos que explicam o lifelong learning

A proposta da Unesco, por exemplo, dispõe que o processo de ensino-aprendizagem não deve ser interrompido após a conclusão do que atualmente equivaleria aos ensinos médio, tecnológico ou superior.

Do ponto de vista prático, todos os conceitos que surgiam naquela época tinham como característica:

> A necessidade de pensar a educação e o aprendizado para além da infância e da adolescência;

> A experiência de aprendizagem, contendo dois objetivos complementares: vocacional (com o objetivo de aumentar a qualificação técnica) e social (a fim de buscar o desenvolvimento da cidadania e a emancipação de cada um); 

> A existência e necessidade de pensar a educação fora da escola, em ambientes formais e informais. 

Qual a importância do lifelong learning?

Segundo Securato, o conceito de educação ao longo da vida é uma das chaves de acesso ao século 21. Ele supera a tradicional distinção entre educação inicial e permanente, e responde o desafio desencadeado por um mundo em rápida transformação.

Além disso, abre portas para uma educação mais democratizada, oferecendo uma segunda ou terceira oportunidade, respondendo a sede de conhecimento e permitindo a superação de si mesmo. Também aprimora e amplia formações práticas, exigidas na vida profissional.

Um exemplo da importância desse conceito vem da época anterior à sua concepção: as décadas pós-guerra, principalmente no fim dos anos 1960, quando escolas e universidades lidavam com a dificuldade de receber de volta alunos-soldados com um hiato educacional em virtude do serviço militar - com experiências, idades e condições familiares diferentes dos demais.

O lifelong learning hoje

A Unesco considera o lifelong learning tão vital para a humanidade que criou o Unesco Institute for Lifelong Learning. Focado em educação para adultos com educação continuada, alfabetização e a educação básica não-formal, tem atenção especial a grupos não-privilegiados em países mais afetados pela pobreza e por conflitos. 

O LIT, plataforma digital de educação executiva idealizada por Securato, considera o lifelong learning como um de seus fundamentos mais importantes. Você pode conhecer a experiência LIT clicando aqui.

Pronto para receber conteúdo interessante?

Assine a newsletter