Pronto para receber conteúdo interessante? Assine a newsletter

Valuation de Startups: O que você precisa saber

#LidereATransformação - 12 de Setembro de 2020

Quando falamos sobre startups, o lugar comum é pensar em produtos ou serviços inovadores, criatividade, empreendedorismo e, em alguns casos, muito dinheiro envolvido. Sim, tudo isso faz parte do universo dessas empresas, porém às vezes esquecemos que, no fim do dia, o investimento precisa apresentar resultados.

É por isso que, assim como qualquer outra empresa, é necessário fazer o valuation para identificar o quanto o negócio vale. Avaliar esses empreendimentos não é algo simples, visto que são iniciativas extremamente jovens, lidando com mercados nunca explorados e novos modelos de produto ou serviço.

Com a missão de clarear essa questão, foi realizada uma aula online exclusiva para alunos LIT com a vice-reitora da Saint Paul Escola de Negócios e professora do LIT nos cursos Análise de Viabilidade Econômica de Projetos de InvestimentosFinanças Corporativas I - Custo de CapitalProfa. Dra. Bruna Losada.

Autora do livro Finanças para Startups: o essencial para empreender, liderar e investir em startups, a professora deu algumas dicas para empreendedores que desejam aprofundar seus conhecimentos no tema - estudado por ela em seu pós-doutorado na Columbia University.

Anote algumas dicas para ter em mente na hora de fazer o valuation de uma Startup:

A lógica invertida

Em empresas consideradas tradicionais, o valuation é realizado com base em números do passado da organização, como uma forma de projetar os resultados do futuro e definir qual o seu valor. Porém, a realidade é outra quando falamos em startups. Por serem muito jovens, praticamente não existem números do passado a serem analisados. 

Bruna explica que o segredo é inverter a lógica: ao invés de se basear no que já aconteceu, defina o valor a partir do que ainda não aconteceu. "Se você não tem passado, vá para frente e pense: 'e se tudo der certo?' Esse é um dos pilares que diferenciam o valuation das startups", diz. 

A professora alerta que não podemos deixar a nossa imaginação simplesmente voar. É preciso refletir se os números criados para o futuro são razoáveis. "O bom senso é uma das principais etapas do processo", completa. 

Afinal, o que você está vendendo? 

Na velha economia, baseada na indústria, o produto vendido possuía uma unidade. Ou seja, comprava-se um carro, uma casa ou uma camiseta. Na nova economia, baseada em serviços, vemos essa lógica mudando. Um exemplo são empresas como Uber e Airbnb - você não compra um carro ou casa, mas sim a possibilidade de fazer uma viagem ou viver em determinado lugar por um período. 

Isso transforma tudo na hora de fazer o valuation. "Muda a noção de unidade do seu negócio, de unidade de venda do produto para unidade de aquisição de um cliente", explica Bruna. 

Método padrão 

Já sabemos que a melhor forma de precificar uma Startup é se baseando no futuro. É claro que essa não é uma matemática exata, mas a professora destaca o uso do método padrão de Metrick e Yasuda, como você pode ver na figura abaixo. Segundo ela, o método ajuda a a identificar o que de fato é um risco, o que se sabe ou não sobre o modelo de negócios e a refletir se os números são razoáveis. 

Quer continuar estudando o tema? Confira algumas de nossas sugestões de cursos para fazer sem sair de casa:

Fundamentos de Valuation

Análise de Viabilidade Econômica de Projetos de Investimento

Criatividade, Inovação e Empreendedorismo

Todos os cursos da lista fazem parte do LIT, plataforma digital de educação da Saint Paul Escola de Negócios. Você pode experimentar essa nova forma de aprender por 7 dias grátis, clicando no botão abaixo:

Inscreva-se no LIT

Pronto para receber conteúdo interessante?

Assine a newsletter