Pronto para receber conteúdo interessante? Assine a newsletter

A escola e o desenvolvimento das competências do futuro

Como a escola deve preparar os jovens para as mudanças que já estão acontecendo no mundo e que certamente impactarão o seu futuro? Com as transformações tecnológicas acontecendo em uma velocidade cada vez maior, nos deparamos com a necessidade de desenvolver novas competências que garantirão uma posição no mercado de trabalho. 

Esse tema foi debatido em evento online com a presença do nosso Diretor de Inteligência Artificial, Adriano Mussa, PhD, do consultor em inovação e gestão educacional Paulo de Camargo,  e de José Ernesto Bologna, psicólogo, escritor e consultor de empresas e escolas em inovação.

Como a Inteligência Artificial impactará os trabalhos

O professor Mussa explica que a Inteligência Artificial tende a substituir aqueles trabalhos que são muito repetitivos e com pouca interação social, enquanto aqueles que requerem criatividade e alto contato com outras pessoas representam as atividades que a IA ainda não consegue realizar. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, as principais competências para os próximos anos serão:Top Competências para 2021 - 2025

Observando as habilidades apontadas pelo Fórum, Mussa ressalta que parte delas se referem aos conhecimentos tecnológicos que todos terão que entender, mesmo que de maneira superficial. "Como uma alfabetização digital. Competência de entender essas tecnologias porque elas não são óbvias. Ou a gente desenvolve esse tipo de competência ou seremos analfabetos digitais", diz ele. 

A outra parte diz respeito justamente às atividades que a IA ainda não consegue realizar, ou seja, aquelas que exigem contato social, inteligência emocional ou criatividade, como liderança, pensamento crítico e resiliência. 

Qual o papel das escolas no desenvolvimento destas competências? 

A necessidade de discutir o tema das competências nas escolas começa ainda nos anos 1990, mas Paulo ressalta que, de lá para cá, esse debate ganhou novas facetas e adquiriu diferentes perspectivas ao redor do mundo. "Porém, todas elas traduzem a ideia de um conhecimento e ação, de um conhecimento que já é em si entrelaçado com o universo dos valores, conhecimento que faz acontecer", comenta ele. 

Para Bologna, essas transformações estão acontecendo e não se preparar para elas representa um futuro bastante sombrio para a humanidade, com alto desemprego. Por isso, ele destaca: "Não é possível deixar as coisas correrem assim. Cabe aos líderes, professores, pais, educadores, orientadores, diretores gerais de escola, patrões e governos olharem com muita atenção para a velocidade destas mudanças. A formação é absolutamente necessária". 

Ficou interessado no tema? Confira o encontro na íntegra para se aprofundar no assunto! 

Pronto para receber conteúdo interessante?

Assine a newsletter