Pronto para receber conteúdo interessante? Assine a newsletter

Indo além das ferramentas: Qual é a essência do Design Thinking?

#LidereATransformação - 10 de Outubro de 2020

Já se deparou com um problema cuja solução não era óbvia? Aqueles que parecem não ter precedentes em sua área ou em toda a empresa? É esse tipo de obstáculo que o Design Thinking busca resolver, encontrando saídas inovadoras que podem fazem toda a diferença em um negócio.

Existe uma série de técnicas que podem ajudar a exercitar a criatividade, como o brainstorming e o mapa mental. Mas a verdade é que, apesar de essas ferramentas serem eficientes, não há como realmente praticar o Design Thinking sem antes entender e incorporar seus fundamentos. 

De acordo com o Prof. Dr. Edson Barbero, que no LIT é responsável pelo curso de Monitoria de Concorrentes, o tema está na moda, mas "é importante lembrar a essência dele - é ela que faz a diferença, não a ferramenta". Em aula online exclusiva para alunos do LIT, ele explicou sobre os fundamentos do Design Thinking. 

Veja as dicas do professor para, indo além das ferramentas, entender qual é a essência do Design Thinking

Centrado no humano 

O principal objetivo do Design Thinking é resolver o problema de uma pessoa para poder entregar algo (seja um produto, serviço ou estratégia de negócio) que realmente faça sentido. Por isso, é necessário ser extremamente empático, buscando entender a realidade do outro. "É pensar antes no quem do que no o quê ou como. Entender as pessoas, suas dores, mergulhando profundamente em suas características", explica o professor. 

Os três pilares centrais 

O Design Thinking busca uma convergência entre a desejabilidade e as viabilidades tecnológica e financeira. Ao mesmo passo em que a solução deve ser realmente útil, ela também deve ser tangível. Ou seja, trabalhe com os recursos equilibrando os três pilares e, nas palavras do professor, "buscando um pensamento sinérgico do e, e não do mas".

Ressignificação e criatividade

Criatividade não é exclusividade dos gênios. Pensar em algo inovador é saber ressignificar aquilo que já faz parte de nossas vidas. "O que limita por vezes a criatividade é que olhamos para o mundo e o vemos fixo. Você vê um lápis e pensa que sua única função é escrever", conta o professor.

Mas e se o lápis servisse para outras coisas? Algumas marcas procuraram dar novos significados para seus produtos. Um exemplo são as marcas esportivas que não vendem apenas roupas e acessórios, mas também atitude. 

Macro Etapas do Design Thinking 

Em essência, o Design Thinking passa por alguns processos. Porém, antes de apresentá-los no infográfico abaixo, é preciso deixar claro que este não é um movimento linear com começo, meio e fim. Não se prenda a um padrão. É sempre possível voltar, refazer e melhorar, criando, assim, o seu próprio caminho, alinhado com as necessidades da sua solução. 

 

Quer continuar estudando o tema? Confira alguns cursos do LIT que podem te ajudar:

Design Thinking - LIT Talk by IBM

Criatividade, Inovação e Empreendedorismo

Os cursos acima fazem parte da plataforma digital de cursos da Saint Paul Escola de Negócios, e geram certificados para você turbinar seu currículo com novas competências. Experimente essa nova forma de estudar por 7 dias grátis!

Inscreva-se no LIT

Pronto para receber conteúdo interessante?

Assine a newsletter